Qual tipo de entrevista você deve usar e Como ser Mais EFETIVO na escolha do Candidato

Qual tipo de entrevista  de Emprego você deve usar?

Neste Artigo vou mostrar vários modelos de Entrevista Para que você possa decidir qual é a melhor para o seu Processo Seletivo, e também algumas dicas para torna-lo mais eficiente

a_entrevista_de_emprego

Como Entrevistar

Existem muitos artigos que discutem sobre a entrevista de emprego na ótica de quem será entrevistado, buscando ensinar macetes para que eles possam se comportar de acordo com o esperado pelos entrevistadores, neste texto vamos analisar a entrevista de emprego da ótica do departamento de recrutamento e seleção ou recursos humanos de uma empresa.

O processo seletivo inicia-se no preenchimento da requisição de pessoal e análise da descrição do cargo, após a aprovação do processo, o departamento responsável realiza a divulgação da vaga, quando os currículos chegam, eles são analisados e
classificados de acordo com as competências técnicas apresentadas nele, ou seja, o conhecimento (formação) e as habilidades (experiência profissional), utilizando como base a descrição do cargo.

O próximo passo é a entrevista de seleção, considerada a principal etapa do processo, é neste momento que o candidato sai do papel (currículo) e ganha vida, seja pessoalmente ou virtualmente. Existem várias formas de aplicar esta entrevista, a escolha do melhor tipo depende da cultura da empresa e do cargo em aberto, seja qual for o tipo, o processo se resume na abertura, quando o entrevistador recebe o(s) candidato(s), se apresenta, mostra a estrutura física da empresa, e encaminha-o(s) para uma sala reservada onde será realizada a entrevista.

Em seguida apresenta uma breve descrição da empresa, incluindo missão, visão, valores, principais produtos, entre outras informações que julgar pertinente. Pede que eles se apresentem, informando nome, idade, formação, e por que se candidatou a vaga. No próximo passo o entrevistador apresenta a descrição do cargo, quantidade de vagas, benefícios e faixa salarial, entre outros dados relacionados ao processo.

Depois é realizada a pesquisa, quanto o entrevistador faz perguntas predefinidas visando comprovar a veracidade das informações que constam no currículo, e identificar o perfil dos candidatos. Em seguida acontece a troca, quando Os candidatos tem abertura para tirar dúvidas em relação à vaga e a empresa. E por fim, o fechamento, neste momento o entrevistador fornece um feedback ao candidato sobre sua performance no processo, e indica as próximas etapas.

Entrevista de Emprego

Abaixo segue uma pequena descrição dos principais tipos de entrevista de seleção utilizada atualmente:

Entrevista por e-mail: o entrevistador envia para o candidato uma pequena descrição da empresa e da vaga, em seguida busca informações básicas como pretensão salarial, disponibilidade de horários, estado civil, quantidade de filhos, carteira de habilitação, entre outros, visando confirmar ou complementar as informações que constam ou faltam no currículo do candidato.

Entrevista por telefone: o entrevistador primeiramente se apresenta, em seguida faz perguntas ao candidato relacionadas ao currículo, também visando confirmar ou complementar as informações que constam no documento.

Entrevista de RH: o entrevistador atende o candidato pessoalmente, apresenta à estrutura física da empresa, os valores organizacionais e as informações pertinentes à vaga, e realiza as perguntas descritas nos tipos de entrevistas anteriores, ou seja, as entrevistas por e-mail ou por telefone são formas rápidas de aplicação da entrevista de RH, cujo objetivo é confirmar a veracidade das informações que constam no currículo do candidato.

Entrevista comportamental: o entrevistador atende o candidato individualmente, questionando sobre suas experiências passadas em outros trabalhos, onde o candidato deve apresentar na resposta o contexto, ação e resultado conquistado. Esta entrevista visa identificar as competências comportamentais do candidato, como, por exemplo, se ele sabe trabalhar em equipe. Nesta entrevista também pode ser aplicado um teste de personalidade ou dinâmica de grupo com o auxilio de um psicólogo, para confirmar as competências identificadas.

Entrevista técnica: o entrevistador também atende o candidato individualmente, mas neste caso o entrevistador é o solicitante da vaga, ou seja, o futuro superior imediato do candidato. Ele deve questionar ou testar os conhecimentos e habilidades do candidato, ou seja, as competências técnicas, visando identificar se ele realmente conhece e aplica “corretamente” as ferramentas, métodos ou programas utilizados na execução do trabalho, como, por exemplo, na área de TI um candidato ao cargo de desenvolvedor de sistema deve conhecer a linguagem de programação que será utilizada pela empresa, neste caso
o entrevistador vai realizar perguntas específicas sobre esta linguagem. Também pode ser realizada uma simulação de trabalho para complementar a análise do candidato.

Entrevista de caso: o entrevistador apresenta ao candidato um problema real para que ele possa resolvê-lo ou simula o dia a dia do cargo em questão, como, por exemplo, para o cargo de vendedor, ele pede para o candidato executar um processo de venda por telefone, visando analisar sua postura, comportamento e técnicas de abordagem.

Entrevista em grupo ou coletiva: o entrevistador reúne 05 ou mais candidatos dentro de uma sala, buscando investigar o comportamento deles em atividades em grupo. Após receber os candidatos, o entrevistador fala sobre a empresa e a vaga em aberto, pede que cada um se apresente, e faz alguns questionamentos chaves, como, por exemplo, como você pode contribuir para empresa? Ou ainda, porque você se candidatou para esta vaga? Neste tipo de entrevista são aplicadas dinâmicas de grupo ou jogos empresariais para confirmar as informações coletadas verbalmente.

Entrevista com vários recrutadores ou paredão: ao contrário da entrevista coletiva, agora são vários entrevistadores, incluindo o pessoal do RH e outras pessoas envolvidas diretamente com a vaga, como, por exemplo, o superior imediato e os membros do departamento onde candidato irá trabalhar. Neste caso, todos os entrevistadores fazem perguntas a um único candidato, visando identificar seu comportamento diante de situações de pressão e estresse.

Entrevista “on campus”: o entrevistador vai até o ambiente educacional dos candidatos, normalmente quando é estágio ou trainee, para conversar com os estudantes e identificar os que têm compatibilidade com o perfil do cargo.

Entrevista em inglês: o entrevistador faz toda a entrevista em inglês, visando identificar ou comprovar o nível de fluência do candidato em inglês ou em outra língua especifica.

Entrevista de estresse: o entrevistador cria um ambiente hostil, fazendo muitas perguntas aleatórias sem tempo para resposta, longas pausas, perguntas sem respostas exatas, tudo isso com o intuito de testar os candidatos e analisar suas reações para, a partir disso, determinar se o profissional estará capacitado para a função e preparado para enfrentar a rotina, pressão, desafios etc.

Vídeo entrevista: neste caso, o candidato grava um vídeo de 05 minutos descrevendo seu currículo e respondendo perguntas pontuais já pré-escolhidas pelo entrevistador, este processo normalmente realizado por empresas especializadas.

Entrevista online: o selecionador realiza a entrevista por meios eletrônicos, como Skype, Hangout, videoconferência, entre outros. É uma forma rápida e barata de selecionar candidatos, mas não substitui o olho no olho, por isto, deve fazer parte apenas da primeira etapa do processo seletivo.

Empresas de pequeno porte costumam aplicar apenas a entrevista de RH ou a entrevista técnica, as de médio porte aplicam também a entrevista comportamental, já as grandes empresas podem aplicar todos os tipos de entrevista mencionados, neste caso, devem ser levadas em consideração as competências comportamentais e técnicas exigidas para o cargo, visando garantir a efetividade do processo.

Entrevista comportamental

O entrevistador focará nas suas características pessoais a fim de checar se são compatíveis com o cargo proposto. Os pontos em destaque são: experiência, comportamento, conhecimento, habilidades sempre ligadas à área profissional.

 

Entrevista técnica: Neste tipo, as habilidades requeridas para o cargo serão testadas. O profissional avaliador provavelmente será alguém que tenha amplo conhecimento do setor.

 

3 – Entrevista de caso

O principal ponto é lançar ao candidato um problema real, que o próprio entrevistador ou alguém da empresa tenha passado para ser resolvido.

 

4 – Entrevista prévia

Algumas empresas costumam conduzir esse tipo de entrevista em um primeiro momento para que o candidato esteja melhor preparado para a definitiva. Ela é uma ótima forma de conseguir um feedback sobre suas habilidades ao ser entrevistado.

 

5- Entrevista em grupo

Muitas pessoas as temem, mas não há motivos. O candidato deve aprender como portar-se frente a um grupo grande para sair-se bem.

 

6 – Entrevistas “on campus”

Para estudantes, este tipo é mais vantajoso porque as entrevistas acontecem na própria escola. Os candidatos sentem-se mais confiantes porque já conhecem o ambiente.

 

7 – Entrevista telefônica

Geralmente este tipo de abordagem busca informações mais básicas, como pretensão salarial e interesses, horários etc. Algumas empresas utilizam o telefone para obter alguns detalhes que estejam faltando nos currículos, mas são fundamentais.

A atitude correta é fundamental para triunfar na entrevista de emprego. Podemos distinguir 5 tipos de atitudes do entrevistador: agressiva, cordial, amena, inconexa e silenciosa. Em cada caso deve avaliar como deve atuar. Deixamos alguns conselhos:

Agressivo: O entrevistador destabiliza o candidato, pressiona-o  e intimida-o com perguntas contraditórias. Quer encontrar pontos fracos, feridas e avaliar a reação a situações de pressão. A melhor atitude neste caso é o auto controlo, segurança e confiança. Responda pausadamente, com segurança e sem ser defensivo. Não permita que o intimidem.

Cordial: O encarregado pela entrevista pode ser aberto, dando liberdade ao candidato para expressar-se com liberdade sobre os tópicos que entender. Desta forma, ao dar o controlo ao entrevistado, o candidato pode deslizar, dispersar-se e falar demais. O conselho nestes casos é medir as palavras. Mantenha-se fiel aos aspectos que preparou para falar durante a entrevista e seja profissional.

Amena: Esta atitude vai além da cordialidade. O entrevistador introduz deliberadamente uma empatia que pode levar a conversa a temas diversos e dando liberdade ao candidato de expandir-se. O entrevistador tem o guião mas dá ao candidato o protagonismo. O entrevistado pode falar sem restrições, deixando perceber a sua personalidade, o seu potencial de conflituosidade e os pontos sensíveis da sua história laboral. Mantem-se o conselho do caso anterior: cautela. Não se disperse e não revele demasiado. O entrevistador está a coloca-lo à prova propositadamente.

Inconexa: O responsável faz perguntas sobre temas diversificados, sem uma linha de ideias. Esta atitude tem como finalidade inserir desorientação, de maneira a que os saltos inconexos façam o candidato perder a relação entre os temas da entrevista. Pode acontecer que o candidato fique com dúvidas e se contradiga. O melhor que pode fazer é levar um esquema mental de todos os pontos a tratar e tentar reconduzir a conversa para o aspecto profissional, com o cuidado de não parecer descortês ou que está a evitar um assunto.

Silenciosa: Por último, há ocasiões em que as perguntas são breves e diretas, deixando espaço para que o candidato responda e desenvolva. Assim há possibilidade de demonstrar a capacidade de preencher os espaços da entrevista com a informação adequada. O nosso conselho é responder com informações concretas, com confiança  e com base no que preparou previamente.

6 dicas para conduzir uma entrevista de emprego de forma eficiente

1 – prepare bem a entrevista

Tenha em mente que o momento da entrevista é apenas para isto. Peça a seus colaboradores e familiares para não te ligarem neste horário, procure ao máximo não interromper o processo.
Antes de iniciar o processo, verifique cuidadosamente, a ficha do candidato. Procure saber o suficiente sobre a vida pessoal e a carreira dele. Imagine o constrangimento que será quando o candidato perceber que você sequer leu sua ficha antes da entrevista. Evite isto!
Procure conhecer mais sobre os interesses profissionais e os hobbies do candidato. Além de conhecê-lo um pouco mais é possível estabelecer pontos comuns entre ele e você, encontrando boas maneiras de quebrar o gelo no início da entrevista.

2 – deixe o candidato à vontade
Não queira parecer mais rígido do que o necessário. A entrevista precisa de boas conversas para acontecer, não demonstre dureza ou simpatia demais pelo candidato. Use o bom senso.
Quanto mais à vontade ele estiver mais fácil será para você conduzir a entrevista. O entrevistado falará melhor, terá mais atenção no que for dito e perderá o medo e a ansiedade rapidamente. Lembre-se que alguns candidatos chegarão até você com medo até da própria sombra, portanto deixe-os à vontade, demonstre interesse e retire o melhor deles.

3 – seja objetivo: Conduza a entrevista diretamente ao assunto que deseja abordar. Procure ser direto em suas perguntas, sem muito rodeio ou questionamentos desnecessários. Nunca fale mais do que o entrevistado, diálogo é tudo!
Evite ao máximo fazer anotações durante a entrevista. É impossível que o candidato não fique curioso para saber o que você tanto escreve, o que com certeza o deixará distraído no restante do processo.
Não deixe que o bate-papo fora do assunto se estenda demais, afinal a entrevista demanda certo tempo tanto do entrevistador quanto do entrevistado.

4 – demonstre interesse: Escute atentamente o candidato e demonstre interesse pelo que ele fala. Quanto mais interessante ele se sentir, mais facilmente poderá contar suas habilidades e experiências passadas.
Evite emitir opiniões ou comentários extensos e/ou desnecessários. Isto atrapalha o processo e ainda pode causar uma tremenda saia-justa, comprometendo todo o seu trabalho.

5 – observe a apresentação pessoal do candidato: Isto é regra básica em qualquer entrevista de emprego, mas não pode nunca passar batido. É de fundamental importância que o candidato esteja vestido adequadamente, com cabelos e unhas bem feitas para causar uma boa impressão. Mas principalmente para demonstrar como ele se importou com a entrevista e soube da real necessidade de ter uma boa apresentação.

6 – deixe seus preconceitos em casa: Não julgue o produto pela embalagem. Não é porque você não “foi com a cara” do candidato que ele não serve para a vaga. O preconceito por parte do entrevistador é algo que afasta ótimos profissionais das empresas. Peça a opinião de seus colaboradores, não tenha vergonha de fazê-lo. Tome cuidado para não perder um grande profissional para seus preconceitos.
É quase impossível conhecer uma pessoa e não analisá-la, julgá-la ou até mesmo compará-la, mas em uma entrevista de emprego isto não pode existir. Talvez um dos erros mais graves do entrevistador é querer que o entrevistado seja igual a ele ou até mesmo igual ao antigo dono da vaga em questão. Isto é humanamente impossível.
Estas dicas são muito úteis desde o planejamento da entrevista até o contato direto com o entrevistado. Elas vão te auxiliar a conseguir retirar o máximo dos candidatos, conhecê-los melhor e obter material importante para análise em uma possível contratação. Além, claro, de mostrar à sua empresa um pouco sobre os candidatos disponíveis no mercado, como estão qualificados e o que estão buscando das empresas.
Enfim, o processo de entrevista de emprego traz diversos benefícios para sua empresa.

Facebook Comments